"Regresse à Página Principal"

 

   
 

Educação

Ensine o seu filho a poupar
 

Aprender de pequenino a ser responsável em relação ao dinheiro ajuda a evitar problemas financeiros ao longo da vida.

 

FOCUS Nº 236 de 21 Abril 2006

 
 

Diz a sabedoria popular que de pequenino se torce o pepino, mas os pais portugueses ainda não estão muito preocupados com a educação financeira dos seus rebentos. Quem o diz é o psicólogo clínico Vasco Soares, que alerta para o facto de uma má educação financeira em criança poder ter reflexos negativos na vida adulta. Miúdos habituados a ter tudo quanto querem, podem dar origem a adultos "com dificuldades a tolerar o sentimento de frustração, por não poderem ter tudo aquilo que desejam", diz. Aquele especialista alerta, ainda, para o facto de muitas situações de endividamento terem origem na falta de acompanhamento e de educação financeira.

 

Mas a partir de que idade esse treino pode ser feito? Vasco Soares acredita que não há uma idade específica para isso. Ainda assim, há maneiras de ajudar a criança a manter um contacto saudável com o dinheiro, desde muito cedo. Os pais podem, por exemplo, mostrar aos rebentos as notas e as moedas para ajudá-los a distinguir o dinheiro pelo tamanho e pelo desenho. Outra forma de aproximar a criança das questões financeira é, uma ida ao supermercado, deixá-la entregar o dinheiro à empregada da caixa.
Quem também já percebeu o alcance destas preocupações foram os bancos. O Millennium BCP e o Grupo Totta piscaram o olho a este nicho de mercado e colocaram ao dispor dos seus clientes um cartão pré-pago, que funciona como uma espécie de mesada electrónica. O cartão do Millennium BCP, por exemplo, permite aos pais carregarem-no com valores que podem variar entre os 25€ e os 2500€.

 

Sugestões para orientar os seus filhos

 

Quatro conselhos para ajudar as crianças a gerirem o dinheiro.
E os quatro erros mais cometidos pelos pais

 

Conselhos

 

* Dê o exemplo, mostre aos seus filhos que o dinheiro não cai do céu e que é preciso muito esforço para ganhá-lo.
Se as crianças se aperceberem de que os pais são gastadores, dificilmente vão aprender a poupar.

* Nas idas ao supermercado transmita às crianças noções do que é caro ou barato e ensine-as a separar os produtos indispensáveis (ex.: o pão para o lanche) dos supérfluos (ex.: uma carrinho de brincar).

* A partir dos 10 anos já pode dar uma pequena semanada ou mesada ao seu filho. Esta é uma forma de responsabilizar os mais pequenos. Mas atenção: a verba não deverá ser muito alta, pois pode promover o gasto fácil.

* Contas bancárias e cartões electrónicos são positivos, mas apenas a partir de uma determinada idade. "Estas medidas só funcionam se o adolescente já tiver um sentido de responsabilidade, se assim não for, é o descalabro". Diz o psicólogo Vasco Soares.

 

Erros

 

* Um dos grandes problemas dos pais modernos é a falta de tempo para estarem com os filhos. Para compensar essa falha, muitos enchem as crianças de prendas caras, brinquedos do último modelo ou roupa de marca. Desta forma, a criança pensa que tudo cai do céu, sem esforço.

* Quase todas as pessoas já presenciaram birras de miúdos nos hipermercados que choram e pedem aos pais para comprar determinado brinquedo. Muitas vezes, os pais acabam por ceder ao capricho dos rebentos, para não terem de passar por situações embaraçosas. Este é um dos maiores erros: as crianças que não sabem aceitar um "não" vão passar a utilizar sempre a estratégia da birra, para obterem aquilo que querem. Não ceda às pressões dos filhos.

* Se chegar ao meio do mês e o seu filho lhe disser que já gastou a mesada não lhe dê mais dinheiro. Vai ver que, no mês seguinte ele vai gerir a mesma verba de uma forma bem mais racional.

* Não dê dinheiro à criança em troca da execução de tarefas domésticas. Caso contrário, ele passará a cobrar-lhe alguns euros para fazer a cama ou limpar a gaiola do canário.

 
 
Marcação consulta:
 Lisboa: Leiria:
 
INSIGHT-Psicologia
LISBOA: Rua do Conde de Redondo, 60, 5º Piso 1150-108 Lisboa
LEIRIA: Rua Dr. João Soares, Lote A, r/c Esq. 2400-448 Leiria